O campo morfogenético e as leituras intuitivas.

 

Nas sessões de ThetaHealing a leitura intuitiva é uma das principais técnicas que utilizamos para acessarmos informações subconscientes do consulente.

Esse recurso deve ser bastante exercitado, e no curso de Anatomia Intuitiva, ensinado por Vianna Stibal conseguimos apurar nossa sensibilidade para lermos desde o campo energético, órgãos físicos, padrões mentais, crenças limitantes e até mesmo informações ancestrais.

As medicinas chinesas e o conhecimento vético e até a ciência já comprovaram a existência de forças eletromagnéticas em nosso corpo, provenientes dos nossos centros de forças e mantido pelas linhas meridianas. Essas, responsáveis por manter nossa energia em fluidez. Mas o que isso tem a ver com as nossas memórias ancestrais e padrões limitantes de crenças que acessamos nas sessões de ThetaHealing, entrando no campo energético do consulente?

O campo energético se conecta com o campo morfogenético do nosso corpo, cada molécula, cristal e estruturas do nosso corpo tem um campo mórfico. Mas o que é o campo morfogenético? É uma teoria criada por um biólogo de nome Rupert Sheldrake, que no seu livro A nova Ciência da Vida, aponta que campos mórficos são campos que levam informações, não energia, e são utilizáveis através do espaço e do tempo sem perda alguma de intensidade depois de ter sido criado. Eles são campos não físicos que exercem influência sobre sistemas que apresentam algum tipo de organização inerente.

O fato é que nosso campo energético se comunica com os campos morfogenéticos permitindo que a leitura intuitiva seja uma completa investigação ancestral bem como todo e qualquer tipo de experiência dramática que o consulente tenha passado em todas as suas existências.

Entende porque numa sessão de ThetaHealing deve-se começar por uma leitura intuitiva profunda? As informações acessadas ali são valiosas para a cura do consulente, uma vez que ela está trazendo do subconsciente padrões negativos que de algum modo fizeram ele acreditar que precisava desses padrões para sobreviver.

Mauricio Faria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *